quinta-feira, outubro 19, 2006

Ai, ai...

Custou-me imenso levantar da cama. E agora não me apetece trabalhar. Estou com preguiça… Já repararam que preguiça é, ela própria, uma palavra preguiçosa? Para não ter que usar dois “ésses”, optou por um “cê” com uma cauda. Esta letra sempre me intrigou. Que necessidade temos nós de usar um “cê” com defeito de fabrico? Haverá mais alguma língua que o faça [apeteceu-me mesmo escrever “fassa”…]? Os estrangeiros devem olhar para o nosso “ç” com o mesmo olhar de estranheza com que eu olho para os caracteres árabes. Mas, adiante, lá estou eu a divagar: o que interessa mesmo é que estou com preguiça para trabalhar. Quero fazer meditação, andar à chuva e comprar umas botas que vi nas Amoreiras. Quero voltar para a barriga da minha mãe.

26 comentários:

Bruna Pereira disse...

Olha... Já somos duas na arte da moleza! Por acaso também estou a precisar de comprar umas botas das que não deixem o salto na calçada :)

Ana Sousa disse...

Chuac chuac

(essa comparação com as caracteres árabes já me tinha passado pela cabeça!)

pp disse...

Xi....coitadinha da tua mãe :)))))
:)*

mãe gabi disse...

comprar botas??? entao e as sandálias que me falaste???

Inês disse...

Ora eu, já me reformava.

joaninha disse...

lol... confesso... hoje nao me apetecia nada sair da cama... mas lá teve que ser... mas há horas em que também quero instalar me na barriguita da minha mamã... :) (xculpa a invasão)

Miguel disse...

Olá,
voltar para a barriga da mãe ...de botas?!
Vais ter um petit problem de falta de espasso (estou solidário).
Ai, Ai...a falta que nos faz o calor terno e doce.

P.s. A palavra barriga está adequada ao sujeito descrito, principalmente o " g ".
Um beijo, caloroso.

GE disse...

Preguiça? Por aqui há muita, às paletes..

Bjinhos

Zuza disse...

duvido que a tua mãe te queira lá com esse tamanho todo, mas... podes tentar!!:D
as mães são seres mto estranhos ;))))

BlueAngel disse...

Como te compreendo. A preguiça está aqui altamente instalada. Tenho uma frota de camiões de preguiça por minha conta. Botas?? Detesto e ando com umas calçadas ("calssadas") hoje... maldita chuva!!! Falta muito para o Verão?
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Isso de voltar para a barriga da mãe parece-me lindamente. Vou só telefonar e já volto. :-)

morango disse...

e eu hoje parece que tenho uma cobra enrolada que não me deixa fazer nadinha!!!

bjs

trapezista disse...

...eu também quero voltar para a barriga da tua mãe.... :)

florbola disse...

Olá,
Tenho acompanhado os teus comentários noutros blogs, hoje descobri o teu blog e gostei imenso!!!! : ))))

Este Verão conheci o namorado da minha prima, ele é Polaco... Bem é uma língua indescritível e com acentos nas letras mais estranhas...!!!

Bjs ; )

Teresa disse...

:)

particula-RG disse...

Rosinha...
Eu também estou no auge do estado PREGUIÇA! Nem meditar me apetece e muito menos andar à chuva.

Comprar umas botas... bom, isso já é outra conversa...
Mas ainda não vi nenhumas que me fizessem "perder a cabeça".

Melhores dias virão!
**

andorinha disse...

A mim também me custou imenso levantar, isso deve ser contagioso:)
E também não me apeteceu nada trabalhar, digo-te já, mas lá teve que ser.
Bjs:)

Xana disse...

A única coisa que te falta é ganhar juízo, amiga. Quando isso acontecer, vais ver que não te custa tanto levantar e que já não te apetece voltar para a barriga da tua mãe (quando é que fugir virou uma opção?). Já a questão do "c" com cedilha vai ficar na mesma. Pelo menos até um próximo acordo ortográfico.
Beijinhos.

Ana disse...

Hoje andou tudo numa moleza lá no estágio.. Não és a única. *

P. disse...

ui ui..estamos na mesma onda:P hoje de manha quando tocou o despertador também me pus por baixo dos cobertores apertei a almofada e pensei "quero voltar para a barriga da mamã":P

Nocas disse...

Xi....nem digas nada! Acordar, ter que levantar da cama e ouvir lá fora o dilúvio acentua a minha já de si "acentuada" preguiça :)

Phil disse...

eu não quero voltar para a barriga da minha porque parece que a coisa não foi muito pacífica. mas se calhar voltamos todos um bocadinho para a barriga das nossas respectivas quando nos deitamos todas as noites enroladinhos nos lençóis ou no edredón, dependendo da necessidd de calor dentro de cada um. E todos os dias temos a oportunidade de "nascer".... Há aqueles que berram assim que acordam. E aqueles, mais preguiçosos, que precisam de um empurrãozinho para acordar para a vida. Eu sou aquela. E também aquela. Tenho dias! (quem é que me vai empurrar daqui a bocado?)

Phil disse...

será por ter nascido prematura que quero sempre dormir muito mais? reclamo o direito aos 2 meses e meio que me foram roubados!! (hehe, podemos sempre desculpar a nossa preguiça!)

João Mãos de Tesoura disse...

É caso para perguntar, "tiveste um parto fácil ou difícil?" :D

asdrubal tudo bem disse...

podia ter-te dado para pior. o melhor é contentares-te com uma tarde de sábado deitada no sofá com uma bela manta, se possível uma lareira , um bom livro e uma boa música

Mamaíta disse...

Pois por aqui nao há cê com cauda, nao há mesmo, pois os meus textos sao todos sem ele, nao tenho e pronto!
Também por cá há uma letra esquisita "ß", que por acaso também tem o mesmo valor, ou seja, "ss".
Mas que estao a tentar, a toda a forca (cá está um dos meus "cês" sem cauda, que levam a ler uma palavra completamente diferente e de significado completamente oposto, mas pronto) irradiar e substituir sempre por "ss".

Já confundi bastante ou nao!?
Ando assim confusa e acabo por confundir tudo...

Beijinhos :)

Anne Marie disse...

Olá!
Uma vez disse: "Quero voltar para a barriga da minha mãe!" e a minha amiga Sílvia cantou-me uma música.
Posso trocar "Ana" por "Rosa"...

"A Rosa quer...
Nunca ter saído da barriga da mãe!
Cá fora está-se bem, mas na barriga também era divertido!
O coração ali à mão,
Os pulmões ali ao pé
Ver como a mãe é
Do lado que não se vê...

O que a Rosa mais quer ser,
Quando for grande e crescer,
É ser outra vez pequena
Não ter nada para fazer
Ser só pequena e crescer
De vez em quando nascer...
E voltar a renascer..."

... bem... era isto!

Um beijo!