quinta-feira, agosto 31, 2006

Evolução da espécie?

O depósito de gasolina do meu carro está a crescer a olhos vistos: aqui há um tempo (e não tanto quanto isso), ficava cheio com 40 euros, mas agora já não se contenta com menos de 75. Ora, da última vez que verifiquei, o automóvel não era um organismo vivo… sou só eu que acho isto estranho?

terça-feira, agosto 29, 2006

O clã dos Peter Pan*

A revista britânica The Lancet propôs a abolição do termo “asma”. O dicionário refere que se trata de uma “doença, com acessos irregulares, caracterizada pela dificuldade de respirar”, mas a revista diz que a aplicação da palavra é feita de forma incorrecta e enganadora, uma vez que os investigadores entendem que a asma não é uma doença única mas sim um conjunto de sintomas com causas e características diferentes.
Vai daí, eu quero propor a abolição do termo “homem”, pelos mesmos motivos: a aplicação da palavra é feita de forma incorrecta e enganadora. É que o dicionário refere que se trata de uma “pessoa adulta do sexo masculino”, mas anos e anos de investigação feminina ainda não conseguiram encontrar um único exemplar que se comporte, efectivamente, como um adulto.


*É o título de um livro que me ficou na memória. Não sei de quem, nem onde, nem como, nem porquê.

segunda-feira, agosto 28, 2006

E outros em que acho...

... certíssimas as palavras desta canção:

Save the night, save the day
Save the love, come what may
Love is worth everything we pay


(I want to spend my lifetime loving you – Tina Arena e Marc Anthony)

Dá para ser um nadinha mais coerente???

sexta-feira, agosto 25, 2006

quinta-feira, agosto 24, 2006

Da colecção “Como é possível viver sem saber isto?”

A formiga destronou o camarão. É verdade. Ouvi de manhã na rádio e tinha que partilhar convosco. O novo recorde de velocidade no reino animal foi estabelecido por uma pequena formiga, que, imagine-se, dá dentadas a uma velocidade superior a 200 km/h. Quem não gostou muito da notícia foi o camarão que detinha o recorde do mais rápido [partia conchas a uns míseros 90 e poucos km/h], que reagiu de forma despeitada: “Isso de dar dentadas é muito fácil, eu queria vê-la era a abrir uma amêijoa!”.

quarta-feira, agosto 23, 2006

Boazinhas e boazonas

Li o título na capa de um jornal [não me recordo qual], referente ao regresso da Neli Furtado: “De boazinha a boazona”. E surgiu-me a dúvida: uma exclui a outra? Quer dizer, uma gaja não pode ser, simultaneamente, boazinha e boazona? Tenho um amigo que divide o sexo feminino em “mulherzinhas” e “mulherões”, definindo as primeiras como aquelas com que todos os homens sonham casar, enquanto se divertem com as segundas. E surge-me outra dúvida: as mulherzinhas são boazinhas e os mulherões são boazonas?

terça-feira, agosto 22, 2006

Reencarnação

Não sei se foi do computador, que tem andado um bocado epiléptico e de vez em quando tem uns espasmos, ou se foi uma cena qualquer do blogger, o facto é que o Sorrisos aos molhos desapareceu, eclipsou-se, puff!, sumiu!
Depois de alguns entendidos nestas coisas tecnológicas se terem debruçado sobre o assunto, concluiu-se que não havia nada a fazer. A respiração boca-a-boca não resultou, as massagens cardíacas também não. O óbito foi declarado às 11:32 deste dia 22 de Agosto de 2006. Este Sorrisos aos molhos que agora inicio é a reencarnação absoluta do anterior, mantendo intactas todas as características da sua alma bloguista.
Em memória da sua vida anterior, refira-se que nasceu no dia 16 de Março de 2005, às 17:28 e que recebeu, até ontem, 87 281 visitas [que irei juntar às estatísticas, uma vez que isto é exactamente o mesmo blog]. À medida que for tendo tempo prometo recuperar os links da barra ali ao lado.
E a modos que é isto... A reencarnação do Sorrisos aos molhos acontece, oficialmente, agora.