segunda-feira, agosto 06, 2007

Stick with you

Sábado à noite telefonei à minha amiga X.
Eu - Olá, vim passar o fim-de-semana e trouxe a Y comigo. Como a Z também está cá, estamos a combinar encontrarmo-nos em Óbidos para beber um copo. O que me dizes?
Ela - [entusiasmada] Ah, porreiro! Deixa-me só ver com o W [o marido], que ele levantou-se muito cedo e tem andado o dia todo cheio de sono. Já te ligo a seguir ao jantar.
[A seguir ao jantar]
Ela – Olha, afinal não vamos. O W está muito cansado e já não lhe apetece sair.
Eu – (o que respondi) Tudo bem, fica para a próxima.
Eu – (o que me apetecia ter respondido) E então, são siameses?!

Eh pá, eu não consigo perceber isto. Esforço-me, eu juro que me esforço, mas não consigo. A mim parece-me que quando se fala em união não se pretende ser tão literal: os casais não precisam de estar unidos com Super-cola 3 para serem felizes. Muito pelo contrário, diria eu. Mas a verdade é que eu não percebo nada disto, como se prova pela minha incapacidade para manter uma relação por mais de um mês ou dois. Vai daí, é capaz de ser verdade. Se calhar os casais têm que ser assim, siameses. Talvez para não se perderem um do outro...
A ser assim, resta-me uma certeza: passarei o resto da vida a, como diz a minha mãe, trocar de namorado como quem troca de camisa. Porque recuso-me a seguir esta receita. Prezo demasiado a minha individualidade para abdicar dela, e jamais conseguiria respeitar alguém que abdicasse da sua em nome dessa suposta união que até cola cientistas ao tecto.

24 comentários:

zeni disse...

"Siameses"!! Muito bem achada!

Eu também não percebo esse comportamento siamês e sou casada! Há quem não perceba como é que eu faço programas sem ele e vice-versa. Acham logo que alguma coisa está mal!

Se calhar, haverá quem quando casa faça votos de "ser siamês, na alegria e na tristeza", vá-se lá saber!

Mia disse...

Rosa,
Entendo! Tenho amigas que acham que algo de mal vai na minha relação se saio sem o T.. Pode haver coisa mais ridícula?

Xana disse...

Essa que colava os cientistas ao tecto era a Araldite, ou uma coisa qualquer muito parecida, não era? :))))
Mas compreendo-te. E acho que tudo se resume a uma frase: há muita gente parva por esse mundo fora.

SC disse...

Assino por baixo! (posso?!)

Parrot disse...

Isso mesmo. Tenho amigos que, literalmente, desapareceram quando se casaram...começaram a ficar chatos, gordos e calados....o que uma mulher faz a um homem. :)
Assim não, casar exige determinadas obrigações, mas nunca perder um espaço...mas estas coisas definem-se nos contractos pré-nupciais. :))))
Beijo Rosa

Baguigolas disse...

Eu tenho um "w" e, ainda assim, se uma amiga de peito e longa data "z" me convidasse para uma noitada, se o "w" ficasse em casa com a cachopa te garanto que ia, e ele tb se fosse o contrário faria o mesmo. Por se amar uma pessoa não significa que não nos continuemos a amar a nós mesmas! Sinceramente? acho q a ela é q n apeteceu...ou isso ou é arcaica!

Eduardo Lara Alves disse...

Vês...se fosse um amigo nada disto acontecia ;).
A "culpa" foi tua, devias ter avisado com pelo menos uma semana de antecedência para o W ter conseguido dormir em condições. :)

pp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pp disse...

Rosinha,
eu compreendo o que dizes e partilho da mesma opinião.
Há quem chame a esse individualismo, egoismo... liberdade, depende dos olhos que o "miram", eu acho que se pode partilhar um caminho sem abdicar dessa liberdade(eu chamo-lhe liberdade)...enfim.
:)*

Formiguinha disse...

Eu pensava exactamente como tu. E agora que tenho marido continuo a sair sem ele, mas não é a mesma coisa. é que quando encontras AQUELA pessoa a tua realidade passa a ser vivida a dois.

Any way, gostei da metáfora.

Bêjos

andorinha disse...

Assino por baixo, também.
A bold para reforçar...
Há coisas que já desisti de tentar entender, simplesmente porque não fazem qualquer sentido:)

Beijinhos

PS: É melhor trocar de namorado como quem troca de camisa, do que abdicar da nossa individualidade/personalidade.

particula-RG disse...

É estranho, mas é uma situação muito comum.

Opções.
[Perca inútil de oportunidades]

neva disse...

hehe bem depois de ter tido uma relação de 4 anos e tal à distancia, só posso concordar contigo rosa, as pessoas não podem andar sempre agarradas, senão depois que há para contar de novo???? enfim cada um vive a vida como quer :)

Cátia disse...

Ora aí está uma coisa que me incomoda seriamente!
Tenho 21 anos e as amigas que têm namorado ou amigos com namorada têm o mesmo comportamento e eu penso logo: "e ainda não são casados..."

Parece que se têm de tratar nas palminhas, como se o facto de os planos poderem ser diferentes para cada elemento do casal fosse sinónimo de rejeição para quem decide ir à sua vida.

A minha inexperiência diz-me que também é por isto que muitos casamentos não duram: os casais perdem a sua individualidade e começam a sufocar, o que é meio caminho andado para projectar no outros todos os defeitos possíveis e imaginários.

O pior mesmo é habituar mal o parceiro desde o início:P

tenho dito:P

Cátia disse...

Expliquei-me mal: "apesar da minha inexperiência, a minha observação diz-me que..":P

BlueAngel disse...

Concordo contigo!!! Também não percebo essas pessoas, mas são opções de vida e respeito!!! Perder a minha personalidade e a minha individualidade? Nunca!!!

Miguel disse...

Olá,
não acredito no que disseste..., mas concordo contigo.
A liberdade não se partilha, aprende-se a senti-la e a respeitá-la.
Um Beijo

LopesCa disse...

Sou casada mas não somos siamêses.
Infelizmente se saímos separados muita gente pensa logo que algo está mal :(
Felizmente não nos importamos :)

Diabba disse...

E não te ocorreu que a X se servisse do marido, porque, na realidade, ela não lhe apetecia sair??
A "cara metade" serve muitas vezes de desculpa (é uma das utilidades das caras-metade, hihihihihi, para além de outras...)

beijo d'enxofre

Gorduchita disse...

Como comentou alguém, quando se encontra aquela pessoa, sair sem ela nao tem a mesma piada!
Mas isso não implica que não se faça programmas separados!
É preciso manter um certo individualismo saudável!

Llew disse...

tem piada que conheço muito poucos casais assim! A maior parte dos casais amigos é mais se um nao quiser ir, e a outra quiser, esta vai de certeza. E não ha problema nenhum. Sem stress :)

Cláudia Cunha disse...

Posso estar errada, mas é super saudável para uma relação a curto, médio e longo prazo, que cada um dos cônjuges mantenha a sua individualidade sob pena de um dia destes ficar sem assunto... E aí, interessante mesmo é a primeira pessoa que aparecer à frente a falar de uma coisa qualquer que soe a novidade...

AnaBond disse...

há alturas e alturas.

eu sou casada e há poucos dias fui jantar fora com amigas.
e farei isso sempre que alguém me convidar.

estar casada, mesmo super apaixonada e tudo, é respeitar o outro. e isso passa por nos respeitar a nós próprios.

rosinha, também eu dizia que nunca me iria casar por pensar o mesmo que tu e outras coisas.
afinal encontrei alguém à minha altura, que me respeita assim como o respeito a ele. e temos os nossos momentos, como todos os casais.
sinceramente, acho que é dificil encontrar alguém que nos preencha a sério. eu tive essa sorte. pelo menos até agora.

espero sinceramente que te aconteça o mesmo.
beijo grande para ti.

Mary disse...

Rosinha

Posso dizer que já vivi as duas realidades.
Na primeira relação era tanta a independência que chegas a um ponto que os programas já eram vividos sempre em separado,ou porque os amigos ás vezes não eram comuns,ou porque "estou cansado" etc etc.
Agora, temos cada um suas vidas, isto é, não somos daqueles casais que temos de andar sempre atrás um do outro, mas as saida normalmente são sempre a dois, porque sabe bem, porque assim nos apetece e porque amigos são os mesmos.
A excepção é quando vou a Lisboa a trabalho, e se possível me encontro com os meus velhos amigos
da minha juventude, todos Lisboa como a Je.