terça-feira, maio 06, 2008

O som do desconhecido

Quando penso nas (muitas) maravilhas da infância, há uma que me salta sempre à memória com o sabor da nostalgia: a de ouvir e cantar músicas em inglês sem fazer a mínima ideia do que aqueles sons queriam dizer. Podia até não se dizer nada de jeito (eu, certamente, não dizia), mas para mim o som é infinitamente superior ao sentido.
E, nas canções, ainda hoje me esforço por não prestar atenção à letra. Quando o faço, as músicas, simultaneamente, ganham sentido e perdem todo o sentido.

28 comentários:

eloi disse...

Concordo plenamente com o teu ponto de vista, mas comigo isso sucede apenas porque tenho uma memória de peixe, e não me lembro mesmo das letras!!! :o)

Belzebu disse...

Custa-me admitir que aquilo que dizes é bem verdade! Nem sempre a beleza dos sons condiz com o conteúdo das letras e por vezes prefiro mesmo, nem saber o que certos músicos estão a dizer! Acho que me vou dedicar à música Uzbeque!

eheheh!!! Aquele abraço infernal!

Desinformador disse...

Eu lembro-me mesmo é do selo que levava nas costas, duas semanas antes de ir de férias para a praia... e que doía comó raio quando tinha de o tirar!

E nunca percebi a utilidade disto!

ariana luna disse...

Quer dizer, é e não é...

[É impressão minha ou uns dias na capital fizeram-me uma lavagem cerebral?]

Costinhas disse...

Para regressares à infância:

musiquinha-que-se-perceberes-a-letra-pago-te-um-almocinho

porque tu mereces! :)

beijos

Marisa disse...

Eu não sou nada assim, gosto sempre de saber a letra da musica que estou a ouvir. No entanto acho a tua maneira de ver o assunto muito mais interessante! A sério que acho! E não és a primeira pessoa que "conheço" com esse ponto de vista.

Diz-me disse...

Rosa sou o oposto. Procuro sempre a letra da música. Perceber o sentido dela.

Há músicas que me agarram só pela a letra :)

Beijos

Miguel disse...

Olá Rosa,

...abolutamente de acordo contigo. O som e o silêncio fazem todo o sentido na música, as palavras ás vezes atrapanham.

Acontece-me com frequência, ir a conduzir e começar a ouvir determinada música que me envolve completamente. Quando acaba percebo que não ouvi a letra, então volto a colocar a mesma música só com a intenção de perceber as palavras....sem sucesso, depois de ouvir várias vezes a mesma música desisto das palavras, porque a música envolve-me os sentidos e naquele momento é demasiado forte para me dispersar com a compreensão das palavras.

Outro exemplo é "Fortuna Imperatrix Mundi, O Fortuna - Carmina Burana- em que a fonética das palavras é um composto da força da música.

Se poderes ouvir esta música (M.I.A. - Paper Planes - do álbum Kala). A primeira vez que a ouvi, fiquei completamente envolvido pela composição de sons e vocalizações. Ainda não percebi a letra na totalidade, mas como tu dizes "...o som é infinitamente superior ao sentido."

Um beijo,

P.s. Continuas com "um sorriso" lindo.

Pedro Branco disse...

Não concordo muito com isso, mas percebo. Para mim, que sou também músico, cantor e compositor, é fundamental a palavra. O sentido da palavra. Aliás... mesmo quando não há palavras nós inventamo-as cá dentro... É ou não é?

Seamoon disse...

Sem duvida nenhuma!
Tenho essa exacta percepção da infância,mas com um acrescento,eu cantava-as(ou assim julgáva eu!) em alto e bom som,e se alguem me tentava corrigir,voltava me com um ar de "google"e dizia pssiiuu cala-te que não percebes nada de inglês!! llloll e viva as criancinhas com a mania que já nasceram ensinadas aahahah!

jinhos

Seamoon disse...

epahh! correção ali no julgava :s

Cláudia, Mãe do Pimpo & Pimpa disse...

Quando era miúda lembro-me perfeitamente de também cantar musicas em Inglês sem fazer a mínima ideia do que dizia, no entanto faziam-me imenso sentido. ;)
Hoje, apesar das primeiras vezes também não conhecer as letras, lá vou dissecando as canções, que é para não andar por aí a dizer bacuradas. LOL
Bjs Cláudia

maria qualquer coisa disse...

Lembro-me tal e qual!

E melhor!! a minha já chegou a essa fase! tão bom ouvi-la!

bjs

particula-RG disse...

Acho que o título do post diz tudo.

borbolettta disse...

looooool boa memória essa... eu fazia pior, até aos seis anos brincava sozinha pk só nessa altura é k tive direito a uma irmãzinha, e qd brincava sozinha falava pras bonecas numa língua estranha, e dizia à minha mãe que estava a falar = aos filmes... lol (coitada deve ter ficado preocupada qd me viu a imitir sons estranhos)

Xana disse...

Olá!

Pois... nem de propósito! Vejam o primeiro video que pus neste meu post de ontem:
http://enxakecas.blogs.sapo.pt/1837.html

**

Eduardo Lara Alves disse...

O som das corridas de rolamentos pela rua abaixo :)

Jasman disse...

Rosinha procura no youtube por Ken Lee e depois diz se eras parecida a cantar com essa senhora bulgara...

Dina disse...

É bom mesmo nem te preocupares com a tradução...porque algumas têm uma letra pobre...pobre...

Xinha disse...

Eu cá acho que há de tudo: músicas boas com letras horríveis, músicas más com letras boas, músicas más com letras muito muito más, mas há algumas músicas muito boas com letras que fazem todo o sentido:)

sonia disse...

Olà!
A 1a musica que me lembro e que adorava (là tava a sonita em frente à tv a abanar o rabiosque)era inglesa "last night the Dj saved my life...na na na na". Não fazia a minima ideia do que queria dizer, mas enfim era fabuloso e transmitia-me imensa alegria :)
jinhos

Jeff disse...

Sei como se sente .. mas para mi o que importa é o sentimento que ela promove na hora que estamos cantando ... é BOM !
hauahauhauahuahauhau

Robin K disse...

Eu tenho sempre uma necessidade constante de entender as letras e os seus significados. Depois, fico triste porque nunca fazem sentido nenhum e a música perde toda a beleza.
É já por essa razão que desde há uns anos para cá só ouço música tradicional Tailandesa e de apenas certas zonas mais remotas da Patagónia Chilena (como se a Patagónia Chilena não fosse já remota a suficiente).

Keep on,

Robin K

Doctor Love disse...

If your going to San Francisco...
Pitoshiné.....xara, xarapité....

Doctor Love

Pólvora disse...

:) Fazia exactamente o mesmo quando era pequena, creio ter alguns direitos de autor por varias cantigas dessas! lol...

Pior é que agora as letras entram pelos ouvidos adentro e fazem sempre sentido...algumas magoam, outras dão uma sensação de liberdade, outras são desprovidas de qualquer emoção.

Que seria a vida sem musica?

Ana Raquel disse...

Não consigo dissociar a letra da melodia das músicas... Por muito que me agrade a melodia se a letra for má... esquece!

;)

...Ju... disse...

mas eu nao consigo deixar de as traduzir... e ja deixei de ouvir algumas por a letra ser mesmo horrivel... bah!

*bjinho*

João Filipe Ferreira disse...

eheh sem duvida:)

e ao ler este post lembrei.me daquela... all right...la eueystd ior right alalal in ior mauryd dudifyuwrytuiryti :d

beijinho enorme e sorriiiiiiiiiiiiiiii